Mesmo com restrições, duas praias são invadidas e registram movimentações na virada

0
113

A virada de ano no litoral de São Paulo, região da Baixada Santista, contou com restrições nas praias de Santos, São Vicente, Bertioga e Guarujá. A medida foi tomada para evitar aglomerações e a contaminação pelo novo coronavírus. Mesmo assim, turistas e moradores invadiram os calçadões e faixas de areia e movimentaram as praias.

Em Guarujá, as praias e o calçadão foram fechados com gradis. Entre a noite do dia 30 e a manhã do dia 2 de janeiro, é proibido entrar nas praias. Apesar da determinação, diversos banhistas desrespeitaram a medida e entraram na área isolada, circulando na faixa de areia, do bairro Pitangueiras, já na tarde de quinta-feira (31).

Durante a noite a situação foi semelhante. Uma moradora do mesmo bairro, registrou o movimento na praia, logo após a meia noite desta sexta-feira (1º). “Realmente fiquei entristecida com o fato de ver que o povo não está percebendo a gravidade da doença. Sabiam que iria fechar as praias e mesmo assim ocorreu a invasão”, afirma Sonia Maria Garcia Ormo.

Pessoas invadiram a Praia de Pitangueiras, em Guarujá, e ficaram na faixa de areia — Foto: Arquivo pessoal/Sonia Maria Garcia Ormo

Pessoas invadiram a Praia de Pitangueiras, em Guarujá, e ficaram na faixa de areia — Foto: Arquivo pessoal/Sonia Maria Garcia Ormo

Já em São Vicente, a orla foi interditada e teve fiscalização, das 19h de quinta, até às 6h desta sexta. Houve interdição das vagas de estacionamento na Praça Tom Jobim e na Praia do Gonzaguinha e do Itararé.

No entanto, alguns grupos de pessoas furaram os bloqueios na Praia do Gonzaguinha e viram a passagem de ano da faixa de areia. Uma munícipe registrou o movimento. Nas imagens, é possível ver grupos de pessoas, separados, tanto na areia quanto no calçadão. Ainda conforme ela, apesar de reunidas, muitas pessoas usavam máscara de proteção.

Em Santos, a orla está fechada com gradis e telas desde a 0h de quinta e seguirá até às 0h de sábado (2). Já Bertioga, interditou a orla e calçadão às 19h de quinta e reabriu às 7h desta sexta. Em ambas as cidades, não houve registros de aglomerações.

Praia de Santos ficou vazia durante a virada — Foto: Reprodução/TV Tribuna

Praia de Santos ficou vazia durante a virada — Foto: Reprodução/TV Tribuna

Em nota, a Prefeitura de São Vicente informou que a virada do ano ocorreu dentro da normalidade e que até às 2h30 não havia registrado nenhuma ocorrência.

A Guarda Civil Municipal (GCM) de Santos também informou que não houve registros de aglomerações e festas durante a madrugada da virada do ano, apenas pequenas ocorrências que foram atendidas prontamente. Durante a madrugada desta sexta, foram abordadas 280 pessoas na faixa de areia. Ao todo, foram aplicadas sete multas por não uso de máscara de proteção.

Praia de Santos está interditada desde quinta-feira (31) — Foto: Isabela Carrari/Prefeitura de Santos

Praia de Santos está interditada desde quinta-feira (31) — Foto: Isabela Carrari/Prefeitura de Santos

Outras cidades

Praia Grande, Itanhaém, Mongaguá e Peruíbe mantiveram as praias liberadas durante o réveillon, após o Governo do Estado anunciar que não se responsabilizaria pela fiscalização nos municípios.

Em algumas dessas cidades, houve registro de aglomerações durante a passagem de ano, a exemplo de Praia Grande. No bairro Jardim Samambaia, centenas de pessoas se reuniram em uma festa ao ar livre, com música alta, e desrespeito ao distanciamento social.

Bairro Samambaia, em Praia Grande, recebeu centenas de pessoas  — Foto: Reprodução

Bairro Samambaia, em Praia Grande, recebeu centenas de pessoas — Foto: Reprodução

A pandemia também não impediu que centenas de pessoas se reunissem em Mongaguá para celebrar o Ano Novo. A avenida da Praia Agenor de Campos ficou repleta de pessoas sem máscaras, com carros de som e bebidas.

Orla da Praia Agenor de Campos, em Mongaguá, ficou repleta de pessoas sem máscaras   — Foto: Reprodução

Orla da Praia Agenor de Campos, em Mongaguá, ficou repleta de pessoas sem máscaras — Foto: Reprodução

G1 tentou contato com as prefeituras, mas até a última atualização, não obteve retorno.

 

 

site do café

DEIXE UMA RESPOSTA

Avalie*
Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui