Militares do Corpo de Bombeiros reforçam segurança nas praias em Belterra e Santarém

0
62

Cerca de 30 profissionais do 4º Grupamento Bombeiro Militar (GBM) está realizando ações preventivas nas faixas de areia de cinco praias nos municípios de Belterra e Santarém, no oeste do Pará, com o objetivo de evitar acidentes como afogamentos. Com a subida do nível do Rio Tapajós, turistas frequentam ainda mais as praias da região.

Segundo o tenente-coronel BM Francisco Júnior, comandante do 4° GBM, a ação faz parte da Operação Verão 2021, que conta com o apoio de uma lancha, duas caminhonetes e um micro-ônibus para o transporte do efetivo.

“Em virtude da cheia dos rios, no mês de julho temos poucas faixas de areia disponíveis para banho. Porém, no final de agosto e início de setembro, as praias surgem, período que redobramos a prevenção balneária devido ao grande fluxo de turistas atraídos pelas belezas naturais e também pelo Festival do Çairé, conhecido como o ápice do nosso veraneio”, explicou o comandante.

Orientações

Segundo o sargento BM Marcelo Quemel, o foco da ação é na prevenção, com atenção às crianças para evitar afogamentos, e também às embarcações, tanto de pequeno quanto de médio porte. “Orientamos quanto à habilitação do piloto e a atenção quanto ao uso dos itens de segurança náutica e do colete salva-vidas”, disse.

O GBM esclarece que com relação a prática de natação nestes locais, há áreas delimitadas com boias, e orientações são dadas aos nadadores para que não se afastem da margem e nadem “perpendicularmente à praia”.

Em Belterra, as ações de prevenção no último final de semana foram realizadas nas praias de Aramanaí, Cajutuba e Pindobal, por 15 militares. Mesmo com uma estreita faixa de areia, os guarda-vidas orientaram o público sobre os cuidados necessários naquela parte do Rio Tapajós, considerado o trecho mais largo.

Os guarda-vidas ressaltam aos frequentadores da Praia do Pindobal que sempre busquem orientação dos militares. Devido à cheia do rio, ainda há poucas áreas para o banho. Pindobal é considerada “uma praia de tombo”, pois algumas áreas têm pedras.

O fluxo de embarcações é uma preocupação a mais, pois ao se aproximarem da margem acabam formando buracos, causando risco de afogamento aos banhistas. Condutores de embarcações são alertados sobre o perigo, para que evitem atracar em área próxima ao público.

DEIXE UMA RESPOSTA

Avalie*
Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui