Pinguim é resgatado no Centro de Florianópolis; veja imagens do animal sendo atendido

0
58

Um pinguim-de-Magalhães foi resgatado no Centro de Florianópolis na tarde de segunda-feira (5). Ele foi encontrado debilitado pela Guarda Municipal na orla do mar e encaminhado para atendimento.

Imagens mostram o animal recebendo os primeiros cuidados de uma equipe veterinária e também sendo aquecido. Não há previsão de quando o pinguim poderá voltar ao mar.

Após ser resgatado, pinguim é aquecido em equipamento

O pinguim estava sobre pedras próximo à Passarela Nego Quirido na área central. Ele foi recolhido com auxílio de um pano e colocado em uma caixa.

Depois, a equipe do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) levou o animal para o Centro de Pesquisa, Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos (CePRAM/R3 Animal).

Pinguim sendo atendido após resgate em Florianópolis  — Foto: Amanda Fernandes/R3 Animal

Pinguim sendo atendido após resgate em Florianópolis — Foto: Amanda Fernandes/R3 Animal

O animal foi medicado e passou por alguns exames iniciais (veja no vídeo abaixo) e encaminhado para sala de estabilização. Ele também foi aquecido em uma unidade de tratamento de animais.

Segundo a equipe da R3 Animal, após ser tratado, ele deve se unir a outros pinguins que passam por reabilitação antes de voltar à natureza

Equipe faz avaliação veterinária em pinguim resgatado no Centro de Florianópolis

Além do pinguim resgatado na segunda, no local há outro animal da mesma espécie em estabilização e cinco em um recinto com piscina. A última soltura de pinguins em Florianópolis foi em março deste ano.

Os pinguins-de-Magalhães migram da Patagônia e muitos não resistem a viagem, sendo encontrados debilitados ou mortos. Alguns também acabam presos em artefatos de pesca durante a migração anual.

O que posso fazer se encontrar um animal marinho morto ou debilitado?

  • Caso encontre um mamífero, ave ou tartaruga marinha debilitada ou morta na praia, ligue 0800 642 3341;
  • mantenha distância e ajude a isolar a área;
  • evite contato desses mamíferos ou outros animais silvestres com bichos de estimação, pois eles podem transmitir doença entre si. Os cachorros também podem atacar o animal.
  • evite tirar fotos com o uso de flash, nem forneça alimentos ou force o animal a entrar na água. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Avalie*
Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui