Praia em férias na pandemia: como frequentar de forma segura e responsável

0
53

Desde 14 de junho, a faixa de areia pode ser frequentada desde que respeitando o distanciamento. Nas barracas, há regras como uso de máscara e a permissão de apenas seis pessoas nas mesas

A chegada das férias escolares cria um ambiente ainda mais favorável para famílias irem às praias na busca de paz, tranquilidade e um bom mergulho. Com a flexibilização das regras de isolamento social nas últimas semanas, o lazer na faixa de areia e o banho estão permitidos no Ceará, mas, a pandemia não acabou. O momento que devea ser de diversão pode se tornar um ambiente de contaminação, mesmo sendo ao ar livre. Seguir os protocolos de distanciamento e outras medidas de segurança, como uso de máscara, ainda é uma prioridade para frequentar a praia. Confira como fazer a ida o mais seguro possível e levar para casa apenas boas memórias.

Segundo o mais recente decreto do Governo do Estado, barracas de praia podem funcionar exclusivamente para a atividade de restaurante, com limitação de 50% da capacidade, sendo proibido o uso de piscinas e parques aquáticos. Já para a faixa de areia, é também permitido o acesso, desde que preservado o distanciamento social e evitadas aglomerações.

As barracas têm colocado diversas medidas como a redução e distanciamento de mesas. Nas mesas, são permitidas apenas 6 pessoas, não podendo se juntar com outras. Há a obrigatoriedade de máscaras em áreas de circulação, bem como álcool e pias em abundância para clientes. “Tudo isso é transmitido para funcionários e clientes sistematicamente, incansavelmente, além de placas e informativos virtuais frequentes”, explica Naia D’Ávila, gerente da Barraca Marulho.

Ela conta que o objetivo de continuar reforçando as medidas de segurança é que o setor continue em continue aberto fornecendo um serviço seguro aos clientes, funcionários e frequentadores, mas também que a praia continue sendo uma válvula de escape para a população. Mesmo com as placas e os avisos nas redes sociais, como Naia explica, ainda é preciso que supervisores circulem lembrando a exigência das máscaras. “Muita conscientização e paciência com público mais resistente[…] Foi muito difícil no início, mas agora, com a segunda onda, as pessoas ficaram mais colaborativas, mas é necessário ter firmeza e constância”, ressalta ela.

O alerta vai continuar especialmente com a expectativa do aumento do fluxo nas barracas de praia nas próximas semanas. “Esperamos que em julho tenhamos uma boa temporada, para recuperarmos parte dos prejuízos acumulados em 6 meses de lockdown, desde que começou a pandemia”, pontua ainda a gerente.

Regras sanitárias para barracas de praia:

– Funcionamento exclusivamente para a atividade de restaurante;

– Obediência a protocolos sanitários (uso de máscara, exceto durante alimentação, distanciamento social e limitação de seis pessoas por mesa)

– Limitação em 50% (cinquenta por cento) da capacidade de atendimento simultâneo de clientes;

– Proibição do uso de piscinas e parques aquáticos.

Cuidados individuais

A indicação da médica Vanuza Chagas é que o uso da máscara seja feito em todos os momentos na parte da barraca de praia, nos espaços dos restaurantes. A exceção é na faixa de areia próxima ao mar, já que os frequentadores têm a intenção de entrar na água. Mesmo assim, deve ser buscado um distanciamento de outras pessoas do convívio familiar. O alerta não é só para a praia, mas em outros ambientes. “ Que as pessoas continuem usando máscara, porque é importante. Sabemos que é uma barreira física contra o coronavírus”, aconselha.

A pediatra explica que crianças acima de três anos também devem fazer esse uso, especialmente ao circular nas áreas comuns, como os banheiros. Caso haja certa resistência, uma dica é fornecer às crianças máscaras com temas de personagens que elas conheçam e gostem. “Para mostrar que essas personagens também estão se protegendo contra a Covid”, pontua ela.

O exemplo dos pais também é um incentivo a mais para que a proteção seja em família. “Os pais são referências. Eles usarem máscara já ajuda. Principalmente crianças acima de três anos que elas já conseguem observar e ter um entendimento”, afirma a médica. Os pais devem conversar de forma lúdica, mas clara, que o uso da máscara é para proteção e evitar doenças, além de ser importante, para que seja possível o retorno a atividades de lazer ou o convívios com parentes, como os avós.

A médica aconselha que antes mesmo de ir aos locais, é importante que as pessoas pesquisem e priorizem ambientes que estejam seguindo as medidas sanitárias. A proteção deve começar em casa também com a aplicação do filtro solar, que deve ser testado em crianças acima de seis meses, que nunca tenham usado o produto antes. O teste precisa ser feito alguns dias antes, em uma parte do corpo mais sensível, como o antebraço. O filtro solar deve ser reaplicado a cada ida ao mar, para manter a barreira contra o sol.

Cuidados em geral com crianças na praia

-Ter atenção na faixa da areia, perto do mar. Elas não devem ficar sem supervisão;

-Oferecer alimentos leves, como frutas e sucos, no caso de crianças acima de um ano. “Você vai estar em um lugar exposto à radiação solar, um ambiente quente em que a criança vai ter maior perda de líquido através solar, explica a pediatra Vanuza Chagas;

-Manter o protetor solar, sempre aplicando após a saída do mar;

-Garantir proteção contra o sol, também com roupas protetoras e chapéus;

-Evitar o uso de álcool em gel. Pela radiação solar, pode acontecer de causar irritação e até dermatite ou infecção na pele. O ideal é lavar as mãos em abundância com água e sabão.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Avalie*
Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui