R3 Animal realiza soltura de cinco gaivotas na Praia do Moçambique, em Florianópolis

0
78
R3 Animal realiza soltura de cinco gaivotas na Praia do Moçambique, em Florianópolis

Hoje foi dia de liberar cinco gaivotas: três Larus dominicanus e duas Chroicocephalus maculipennis, conhecida como gaivota-maria-velha. Essa é a segunda vez que a R3 Animal reabilita com sucesso aves dessa espécie. A soltura ocorreu na Praia do Moçambique, em Florianópolis.

As duas gaivotas-maria-velha foram resgatadas em Bombinhas, nos dias 16 e 17 de junho, pela equipe da Univali, responsável pelo Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) naquela região.

Após serem estabilizadas na Unidade de Estabilização de Penha, elas foram transferidas para reabilitação aqui no Centro de Pesquisa, Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos (CePRAM/R3 Animal), em Florianópolis.
Segundo a responsável técnica do PMP-BS/R3Animal Marzia Antonelli, as gaivotas-maria-velha juvenis deram entrada no CePRAM e foram para a Sala de Estabilização.

“Elas passaram por exames de fezes e de sangue. Uma delas estava com o parasita chamado Capillaria sp. e foi medicada até que estivesse apta para seguir para o recinto com piscina”, explica Marzia. As aves passaram pelo processo de ganho de peso e fisioterapia, e os exames complementares demonstraram que as aves estavam aptas para soltura.

A gaivota-maria-velha pode ser encontrada em diferentes habitats da América do Sul, tais como praias, estuários, banhados, lagoas, campos e zonas agrícolas. Constroem ninhos do Uruguai, passando pela Terra do Fogo, no Sul da América do Sul, até o Peru, além das Ilhas Malvinas. Retornam para as colônias entre novembro e dezembro, e durante o inverno dispersam rumo ao Norte.

No Brasil, Chroicocephalus maculipennis pode se distribuir ao longo da costa, com maior ocorrência no litoral do Rio Grande do Sul. Essa espécie possui dieta variada, mas geralmente composta por peixes e insetos (inclusive suas larvas).

As aves juvenis possuem a cabeça acinzentada, o bico vermelho-alaranjado com a ponta escura e as pernas e patas marrom-amarelado. Com o tempo tanto o bico como as pernas e as patas tornam-se vermelho carmim. Quando adulta, a cabeça tem a coloração marrom-acinzentado. Medem entre 36 e 38 centímetros de comprimento. Possuem a íris marrom e um anel ocular vermelho.

Em 2019, a R3 Animal reabilitou uma ave dessa espécie que havia sido resgatada em Laguna, pela equipe do PMP-BS junto à Udesc/Laguna.

DEIXE UMA RESPOSTA

Avalie*
Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui