Ressaca atrai surfistas para a ‘Laje da Besta’, na Baía de Guanabara, e a praias onde ondas são raras

0
118

A ressaca dos últimos dois dias no Rio atraiu surfistas conhecidos para a ‘Laje da Besta’, na entrada da Baía de Guanabara. Os surfistas também aproveitaram ondas grandes nas praias da baía, onde geralmente o mar é calmo.

Na Praia do Flamengo, dezenas de pessoas foram assistir ao fenômeno que é pouco comum no local. E também apreciar as manobras de quem enfrentou as ondas. Houve registros ainda de ondas grandes em praias de Niterói, na Região Metropolitana.

Surfistas aproveitam ondas causadas por ressaca na Praia do Flamengo

Surfistas aproveitam ondas causadas por ressaca na Praia do Flamengo

Os surfistas famosos pegaram ondas de até cinco metros, a chamada Laje da Besta.

Lucas Fink, campeão mundial de skimboard, esporte que mistura manobras de surfe e skate usando uma pequena prancha, foi um dos que surfaram as ondas gigantes, como mostrou o RJ1.

O surfista Caio Vaz também aproveitou o mar alto na mesma região nesta quarta-feira (21).

As imagens foram cedidas pelo resgatista Alemão de Maresias e pelo grupo Gigantes de Nazaré nesta quinta (22).

Ondas gigantes

A ressaca é resultado do tempo nublado e chuvoso no outono carioca. Além da chuva, houve aumento da umidade e os ventos sopraram mais forte.

Surfistas aproveitam ondas no Rio — Foto: Marcos Serra Lima/G1

Surfistas aproveitam ondas no Rio — Foto: Marcos Serra Lima/G1

De acordo com a previsão da meteorologia, as condições do mar continuam perigosas para a navegação, os banhistas e até para os esportistas, com previsão de ondas de 3,5 metros.

Na Baía de Guanabara, a ressaca começa a diminuir nesta sexta-feira (23) e no sábado não tem previsão de ondas grandes no litoral do RJ.

No Dia de São Jorge, a previsão é de tempo mais aberto com o sol aparecendo. Na segunda-feira (26), uma frente fria deve chegar ao Rio provocando queda de temperatura.

Nesta quinta, a máxima do dia chegou a 26,2°C na Vila Militar. A mínima foi de 18°C em Jacarepaguá. As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Avalie*
Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui