Mais de 400 pinguins são recolhidos em praias de SP entre junho e agosto

0
55

Mais de 200 pinguins-de-magalhães (Spheniscus magellanicus) foram recolhidos sem vida pelo Instituto Gremar, em ações pelo Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), entre os dias 20 de junho e 13 de agosto, nas praias de Santos, São Vicente, Guarujá e Bertioga, no litoral de São Paulo. O instituto já contabiliza 402 pinguins da espécie resgatados nesse período, contabilizando os animais que estavam vivos e os que vieram a óbito.

Segundo o Gremar, dos 402 pinguins, 122 foram resgatados com vida, sendo 62 em Bertioga, 43 em Guarujá, 13 em Santos e quatro em São Vicente. Os outros 280 foram resgatados mortos ou vieram a óbito antes de chegarem ao Centro de Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos, em Guarujá: 126 em Bertioga, 131 em Guarujá, cinco em Santos e 18 em São Vicente.

Conforme explica o instituto, a maioria dos pinguins encontrados com vida estava abaixo do peso e com sinais de exaustão, alguns em estado grave. Outros casos incluem ferimentos leves e presença de resíduos sólidos (lixo) no trato gastrointestinal.

Animais vivos passam por tratamento no Centro de Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos — Foto: Divulgação/Instituto Gremar

Animais vivos passam por tratamento no Centro de Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos — Foto: Divulgação/Instituto Gremar

O Gremar informou que, passados quase dois meses desde o primeiro resgate, parte deles tem apresentado evolução positiva durante a reabilitação. Por isso, um grupo já foi realocado em recinto externo, com tanque de volume médio disponível, onde dá sequência aos processos de fortalecimento da musculatura e de impermeabilização de penas, fundamentais para que possam retomar a longa rota que os espera em alto mar.

Período migratório

Conforme explica o instituto, a chegada do inverno no Hemisfério Sul representa o início do período migratório da espécie. Os pinguins partem das colônias que habitam na Argentina, Chile e Ilhas Malvinas rumo à costa brasileira, em busca de alimento. O longo trajeto, a influência das correntes marinhas e o eventual impacto de ações antrópicas costumam aumentar o número de encalhes no litoral.

Nestes casos, o Instituto Gremar recomenda aos munícipes que não toquem nem devolvam os animais ao mar. Também deve-se evitar aglomerações e fazer contato o mais rápido possível com a instituição ambiental mais próxima. O Instituto Gremar pode ser acionado para resgates de animais marinhos, vivos, debilitados ou mortos pelos telefones 0800-6423341 e (13) 99711-4120.

O PMP-BS é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural na Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, por meio do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos. O projeto é realizado desde Laguna (SC) até Saquarema (RJ), sendo dividido em 15 trechos. O Gremar monitora o Trecho 9, compreendido entre São Vicente e Bertioga.

Pinguins foram resgatados pelo Instituto Gremar — Foto: Divulgação/Instituto Gremar

Pinguins foram resgatados pelo Instituto Gremar — Foto: Divulgação/Instituto Gremar

 

 

site do café

DEIXE UMA RESPOSTA

Avalie*
Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui