Praias fluviais paradisíacas no coração da Amazônia: Bem vindo a Santarém

0
407
Praias fluviais paradisíacas no coração da Amazônia: Bem vindo a Santarém
Praias fluviais paradisíacas no coração da Amazônia: Bem vindo a Santarém
Praias fluviais paradisíacas no coração da Amazônia: Bem vindo a Santarém
A segunda cidade mais importante do Pará é Santarém, localizada no oeste do estado, na metade do caminho entre as duas maiores metrópoles amazônicas: Belém e Manaus. Situada na confluência entre os rios Amazonas e Tapajós, Santarém possui um “litoral” de águas doces com praias de areias finas e clima equatorial. Não é a toa que a cidade é considerada o Caribe Brasileiro. Em frente à área urbana, o espetáculo do encontro das águas desses dois rios importantes do norte do país é testemunhado todos os dias por turistas e moradores. Sem dúvida, o principal cartão postal da cidade!
Observar o encontro das águas faz parte da lista de atrações indicadas para turistas que visitam Santarém. Em alguns horários do dia, os dois rios se empurram e ficam mais agitados. Às vezes, o Tapajós manda para longe do calçadão as águas do Amazonas. Mas a alternância permite também que a alta velocidade do maior rio do planeta invada as proximidades da orla de Santarém e expulse para longe as águas quentes do rio Tapajós.
Santarém faz parte de uma rota de turistas estrangeiros que chegam à floresta Amazônica em navios transatlânticos. Não deixe de visitar a Praia Alter do Chão, localizada à margem direita do rio Tapajós, a 37 km do centro da cidade. De acordo com classificação feita pelo jornal britânico “The Guardian” em 2009, Alter do Chão é a praia de água doce mais bonita do mundo inteiro. Além dos atrativos naturais, a tradicional Festa do Sairé é conhecida pela mistura de elementos religiosos e profanos. No distrito de Alter do Chão, existe uma boa infra-estrutura pronta para acolher os visitantes. São postos telefônicos e de saúde, pousadas, lojas de artesanato, restaurantes, áreas para caminhada ecológicas e com presença de botos (animal típico da região amazônica) etc. Vale a pena conhecer também as praias de Ponta de Pedras, Pajuçara e Maracanã. Quem visita a praia Arariá deve estar preparado para mergulhar num ambiente mais selvagem, sem muitos resquícios da civilização. O local não possui infra-estrutura para visitantes. O passeio é apenas entre o turista e a natureza, o que a torna mais atrativa para aventureiros. Está situada a noroeste da cidade, próxima ao aeroporto. O único meio de chegar ao local é via fluvial.
Na área urbana, os atrativos são os museus e monumentos históricos. A dica é visitar o Centro Cultural João Fona, com seu acervo arqueológico que conta a história dos povos indígenas que habitavam a região. A história da influência católica no oeste paraense pode ser vista no Museu de Arte Sacra, localizado no centro da cidade. A Igreja Nossa Senhora da Conceição e o antigo Teatro Vitória são locais que também não podem ser dispensados pelos visitantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Avalie*
Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui