Com avanço da pandemia no RS, governo suspende cogestão e veda permanência em ruas e praias

0
81

Com quase 80% dos leitos de UTI ocupados e mais de 6,8 mil mortes causadas pela Covid-19 no Rio Grande do Sul, o governo do estado decidiu, nesta segunda-feira (30), adotar medidas emergenciais mais severas para tentar evitar o aumento da disseminação do coronavírus.

Entre elas, a vedação à permanência em locais públicos sem controle de acesso, como ruas, praias e parques, a recomendação ao cancelamento de eventos de final de ano e a suspensão do sistema de cogestão com os municípios. Ou seja, a classificação do governo do estado no mapa de distanciamento controlado deve ser adotado por todas as regiões.

Nesta semana, por exemplo, apenas Cachoeira do Sul e Guaíba tiveram seus recursos atendidos e ficam em bandeira laranja. Com isso, as demais 19 regiões passam à bandeira vermelha e devem adotar os protocolos de controle ao alto risco epidemiológico recomendados pelo estado.

“Facilita a comunicação, a fiscalização e o cumprimento das regras. Não há um modelo único no mundo, mas há uma série de medidas temporárias que a gente espera reverter esses casos”, diz Leany Lemos, coordenadora do comitê de crise.

Mapa do distanciamento controlado no RS na semana 30 — Foto: Governo do RS/Reprodução

Mapa do distanciamento controlado no RS na semana 30 — Foto: Governo do RS/Reprodução

A decisão foi tomada após uma reunião com a Federação das Associações de Municípios (Famurs) e é temporária, por 15 dias, prorrogáveis de acordo com a revisão do cenário geral da disseminaçãod a doença no RS. Segundo Eduardo Leite, a medida visa evitar que o coronavírus se alastre e volte a sobrecarregar o sistema hospitalar.

“Não é só ter respirador, camas ou monitores cardíacos. Todo leito é composto por pessoas, e tem limitação de equipe de saúde, fruto da pressão nas estruturas de saúde”, pontua.

“Estamos trabalhando numa lógica de expansão do sistema de saúde. Dobramos, mas tem um limite de estrutura física e humana. A gente se esforça, com parceria de prefeituras e hospitais, mas tem um limite, e a gente precisa do apoio da população gaúcha”, pede o governador.

Outras medidas são sugeridas, mas, conforme o governador, haverá um controle mais rigoroso pela Brigada Militar e órgãos de fiscalização no cumprimento dos protocolos e das ações que caracterizou como “educativas para reduzir aglomerações”.

Governador Eduardo Leite apresentou o diagnóstico de avanço do coronavírus no RS nesta segunda (30) — Foto: YouTube/Reprodução

Governador Eduardo Leite apresentou o diagnóstico de avanço do coronavírus no RS nesta segunda (30) — Foto: YouTube/Reprodução

Veja algumas das medidas adotadas pelo governo:

  • Suspensão de festas e eventos de final de ano, de prefeituras ou de estabelecimentos privados, inclusive em condomínios
  • Suspensão temporária da cogestão
  • Vedação à permanência em locais públicos sem controle de acesso (ruas, praias, praças)
  • Permissão de comércio, sem restrição de dias, mas com restrição de horário (até 20h)
  • Permissão de restaurantes, lancherias e bares, sem restrição de dias, mas com restrição de horário (até 22h), clientes somente sentados, com distanciamento de 2m entre mesas para grupos de até seis pessoas, sem música ao vivo ou ambiente que prejudique a comunicação
  • Permissão de funcionamento de atividades em locais abertos, com controle de acesso, vedado alimentação e bebidas (shows, espetáculos, drive-in, parques de aventura, zoológicos etc.)
  • Delivery e pague e leve podem funcionar até as 23h
  • Vedado o funcionamento de atividades em locais fechados (teatros, cinemas, casas de shows)
  • Vedada a permanência em locais abertos sem controle de público (ruas, praias, parques, praças), permitida apenas circulação ou prática de exercícios físicos
  • Vedados eventos sociais (casamentos, festas, formaturas, aniversários)
  • Vedação do uso de áreas comuns em condomínios e clubes (brinquedos, salões de festas, piscinas, churrasqueiras compartilhadas, quadras)
  • Reforço aos protocolos gerais, em especial: máscara, distanciamento, álcool em gel e ventilação natural cruzada (janelas e portas abertas).

A secretária de Saúde, Arita Bergmann, afirmou que já foi requisitado aos hospitais que reativem os leitos exclusivos para a Covid-19. Pelo menos 77 estão em processo de reativação e novos leitos, em Cruz Alta e Osório, devem ser inaugurados.

No entanto, ela roga à população que retome os cuidados tomados no auge da pandemia.

“Não basta ter leitos clínicos ou de UTI. As pessoas terão que ajudar para evitar essa aceleração da transmissão: o autocuidado, uso da máscara, higienização das mãos, distanciamento físico são atitudes que a população tem responsabilidade”, diz Arita.

 

site do café

DEIXE UMA RESPOSTA

Avalie*
Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui