Surfistas protestam e pedem liberação das praias para o esporte em Praia Grande, SP

0
40

Surfistas se reuniram para pedir a liberação da prática do esporte, na manhã deste sábado (27), em frente a praia do Boqueirão, em Praia Grande, no litoral de São Paulo. As praias estão fechadas e as atividades esportivas estão proibidas em toda a Baixada Santista devido às medidas mais restritivas implantadas na região, definidas como lockdown pelo Conselho de Desenvolvimento Metropolitano da Baixada Santista (Condesb), e que seguem em vigor até o dia 4 de abril.

O grupo de surfistas se reuniu, por volta das 9h, na Avenida Presidente Costa e Silva, para cobrar um posicionamento da prefeitura. Eles questionam o decreto publicado no dia 23 de março, que permite atividades físicas individuais das 5h às 8h e das 17h às 19h30. No entanto, o acesso às praias está proibido.

GCM orientou os surfistas sobre decreto que proíbe o acesso à faixa de areia — Foto: Arquivo Pessoal/Anderson Forgane

GCM orientou os surfistas sobre decreto que proíbe o acesso à faixa de areia — Foto: Arquivo Pessoal/Anderson Forgane

De acordo com Julian Ribeiro, que é sufista há 21 anos, o surfe também é um esporte individual e deveria ser liberado. “O surfe é um esporte individual, a gente entendeu pelo decreto que poderíamos praticar o esporte nos horários determinados, mas fomos repreendidos pelos guarda municipais, eles também não sabem fornecer informações claras sobre o decreto”, explica Ribeiro.

Ribeiro diz a proibição do acesso às praias prejudicou não só a prática do surfe, mas também de outros esportes, como stand up paddle e kitesurf. “A gente se sentiu prejudicado, queremos praticar o esporte até mesmo para lutar contra essa doença, porque o esporte é saúde”.

Segundo Ribeiro, a manifestação reuniu cerca de 60 surfistas que combinaram de protestar de maneira pacífica utilizando máscaras e mantendo o distanciamento social. Além do protesto, eles se reuniram para elaborar um abaixo-assinado reivindicando a prática do esporte para a prefeitura.

Rodrigo Pereira do Nascimento, que também é surfista, explica que o documento já tem mais de 800 assinaturas e será entregue para a administração municipal em breve. “A nossa intenção é passar pela faixa de areia, entrar no mar e praticar as nossas atividades dentro do tempo estipulado pela prefeitura”, comenta.

Segundo ele, os surfistas compreendem o momento que a Baixada Santista está passando no enfrentamento à Covid-19. “O surfe seria uma forma de aliviar um pouco o estresse, sair da frustração e cuidar da nossa saúde. A gente não quer ser melhor que ninguém, a gente respeita as vidas que foram perdidas, quem ficou no hospital, aqueles que estão se recuperando. É importante deixar bem claro, não estamos cegos para o que está acontecendo”, finaliza.

A Guarda Municipal foi chamada e se dirigiu ao local para falar com os surfistas. Eles foram orientados a não acessarem a faixa de areia da praia.

G1 entrou em contato com a Prefeitura de Praia Grande, mas a administração municipal não se posicionou sobre o assunto até a publicação desta reportagem.

Protesto aconteceu em frente à praia do Boqueirão, em Praia Grande  — Foto: Arquivo Pessoal/Anderson Forgane

Protesto aconteceu em frente à praia do Boqueirão, em Praia Grande — Foto: Arquivo Pessoal/Anderson Forgane

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Avalie*
Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui